FUNCEFFUNCEF

ACESSIBILIDADE

Abrapp destaca governança na FUNCEF

11 de Junho de 2018

Em entrevista, presidente Carlos Vieira fala dos resultados

A Abrapp divulga nesta segunda-feira (11/6) entrevista com o presidente da FUNCEF, Carlos Vieira, enfatizando os resultados alcançados pela Fundação nos últimos meses. Confira o texto completo abaixo:

FUNCEF concentra esforços para retomar o equilíbrio e reverter o deficit

Depois de superar as metas atuariais dos planos de benefícios no ano passado, a FUNCEF continua acumulando resultados positivos em 2018. A rentabilidade do primeiro trimestre de 2018 marcou 3,01% ante 1,59% da meta atuarial. Melhor resultado para o período nos últimos cinco anos, foi alcançado um superávit de R$ 394 milhões nos três primeiros meses do ano. O retorno total dos investimentos foi de R$ 1,8bilhão no período.

Com isso, o desequilíbrio técnico dos planos, que era de R$ 2,5 bilhões no final de 2017, caiu para R$ 2,1 bilhões ao final de março deste ano. “Vamos recuperar o equilíbrio técnico de nossos planos até o final de 2018 e para o próximo ano, pretendemos zerar o déficit”, prevê Carlos Vieira, Diretor Presidente da FUNCEF. Os planos da entidade fecharam 2017 com um déficit total de R$ 6,5 bilhões, que agora marca R$ 6,1 bilhões. Adiferença entre o déficit e o desequilíbrio técnico é explicado pela existência de um ajuste de precificação de ativos avaliado em R$ 4,07 bilhões - referente à marcação de títulos públicos conforme Resolução CGPC 26/2008.

O dirigente explica que os resultados positivos alcançados desde o ano passado são fruto de uma série de ações da atual gestão da entidade. As ações são discutidas e propostas a partir do trabalho do Grupo Permanente de ALM, que conta com a participação de representantes de todas as áreas da entidade. O grupo elabora propostas em quatro dimensões, que são as seguintes: equacionamento de déficit, juros e meta, gestão do ativo e gestão do passivo.

As principais ações da entidade que contribuíram para redução do desequilíbrio técnico foram a reestruturação da participação na Vale, a venda do FIP Florestal, acordo de leniência com Ministério Público e a redução do Contencioso Judicial. Neste último ponto, houve redução do provisionamento em cerca de R$ 1 bilhão. “A provisão do contencioso judicial estava superestimado. Fizemos uma reavaliação e chegamos a uma redução importante”, comenta o Diretor Presidente.

Resultado dos investimentos - A rentabilidade dos ativos da FUNCEF também ajudou decisivamente nos resultados positivos. No primeiro trimestre de 2018, a carteira de investimentos estruturados se destacou com o retorno de 6,51%. A renda variável teve rentabilidade de 4,48%; e renda fixa, 2,37%. 

A carteira de estruturados tem se recuperado de resultados negativos devido a uma gestão mais ativa da entidade. As perdas se concentram em alguns FIPs monoativos (aqueles que possuem apenas um ativo), mas não envolvem toda a carteira, que ainda possui cotas em outros fundos que deram boa rentabilidade. Os resultados positivos foram apurados também a partir de uma mudança nos critérios e periodicidade de reavaliação dos ativos.

A reavaliação agora é realizada em períodos menores se comparados com o intervalo de 3 anos que vigorava anteriormente. Já a recuperação dos FIPs monoativos são tratados, muitas vezes, na esfera judicial, para tentar a retomada de parte dos recursos. Na atual gestão, a gestão de ativos é realizada a partir de um controle de risco mais ajustado às necessidades atuariais dos planos.

“O mais importante na estrutura de governança de uma entidade fechada é o alinhamento de objetivos, para trabalhar na direção de alcançar o objetivo principal que é o pagamento dos benefícios dos participantes”, explica Paulo Cesar Werneck, Diretor de Investimentos da FUNCEF. Ele comenta que a atual gestão tem realizado a gestão dos ativos de forma a não correr riscos que não são inerentes ao foco principal da entidade, como por exemplo, ao realizar a gestão de empresas.

Carlos Vieira reforça essa postura da direção da entidade. “Somos gestores de benefícios, por isso não queremos participar da gestão das empresas, que não é nosso foco principal”, diz o Diretor Presidente. O dirigente ressalta ainda as ações para fortalecer a governança da entidade, entre elas, a adesão ao Código de Autorregulação do sistema Abrapp, Sindapp e ICSS (leia mais) no início deste ano. Na mesma linha, lembra ainda da adesão da FUNCEF ao Código Stewardship da Amec, no ano passado.

Comunicação Social da FUNCEF com Abrapp

 


Participe das redes:


icone_facebook_menor.png funcefoficial icone_twitter_menor.png @funcef_oficial icone_youtube_menor.png FUNCEF icone_soundcloud_menor.png FUNCEF icone_medium_menor.png FUNCEF

 


Imprimir

Educação financeira e previdenciária

Dicas para cuidar bem do seu dinheiro, poupar e investir

Matriz

SCN - Q. 02 - Bl. A - 11º, 12º e 13º andares
Ed. Corporate Financial Center
70712-900 - Brasília - DF

Central de Relacionamento: 0800 706 9000

Horário de Atendimento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, exceto feriados.

 

 

MAIS NOTÍCIAS